COMO CURAR SARNA EM CÃES?

COMO CURAR SARNA EM CÃES?

25 de junho de 2016 Cães, Curiosidades, Dicas 0 Comments

A primeira coisa que você vai notar em um animal com sarna é a queda de pelo seguida de coceira. Só que esses sinais são iguais a diversas outras doenças de peles dos pets.

Sarna, uma doença que incomoda cachorros, gatos e humanos.

Os cães, assim como os demais animais e até mesmo o homem, podem ter diversas doenças de pele. Umas causadas por bactérias, outras por fungos, as alergias, as por problemas hormonais entre diversas outras. Dentre as mais comuns estão as causadas por ácaros.

Você sabe qual a doença de pele dos cães que é causada por ácaros? É a sarna! É isso mesmo, a famosa sarna é causada por ácaros. Há duas sarnas mais comuns que acometem os cães que são: a sarna sarcóptica ou escabiose, causada por um ácaro chamado de Sarcoptes scabiei e a sarna demodécica ou sarna negra, causada pelo ácaro Demodex canis.

Qual a diferença entre a sarna sarcóptica e a sarna demodécica?

Além do ácaro que as causa ser diferente, elas têm sinais clínicos e uma é zoonose e a outra não. Para entender melhor, vamos falar sobre a sarna sarcóptica. Ela pode ser transmitida para os seres humanos através do contato direto, ou seja, é uma zoonose. Tem como principais sintomas a queda de pelo em qualquer parte do corpo, prurido (coceira) intenso, vermelhidão na pele e até mesmo, formação de crostas na pele. Muitas vezes o animal se coça tanto que para até de se alimentar direito.

A outra sarna, a demodécica, tem sintomas um pouco diferentes. Embora ela possa se espalhar pelo corpo do animal também, o sinal mais comum é uma queda de pelo ao redor dos olhos. Fica uma faixa bem pertinho do olho do bichinho sem pelo, como se fosse um desenho.

O local fica espesso. Secundário a ela pode acontecer uma infecção causada por bactérias. Nesse caso, a área pode ficar úmida e com algumas bolinhas. Essa sarna não passa para os humanos. O ácaro ficará na pele do cãozinho e sempre que a imunidade dele cair ou que ele passe por uma situação de estresse, ela voltará a aparecer.

Quais são os sintomas que o meu cachorro está com sarna?
A primeira coisa que você vai notar em um animal com sarna é a queda de pelo seguida de coceira. Só que esses sinais são iguais a diversas outras doenças de peles dos pets. Então, o melhor a ser feito, é correr com o bichinho para o médico veterinário. Lá, ele será examinado e, se o profissional achar necessário, um exame baseado em um raspado de pele será feito, para que a confirmação da sarna ou não, seja feita.

Como tratar meu cachorrinho com sarna?
Existem alguns produtos como o Frontline Topspot, que ajudam no combate e tratamento da sarna, pulgas e carrapatos, mas como sempre, é bom procurar um especialista no assunto que, no caso do tratamento da sarna, é o veterinário.

Além do produto citado anteriormente, há várias outras formas de tratar um bichinho com sarna. O produto será receitado pelo médico veterinário de acordo com os sinais clínicos do animal, com a idade e com o avanço da doença. Por exemplo, um filhote ou um bichinho idoso é mais sensível a certas medicações do que um cão adulto e saudável.

No geral, a administração oral ou injetável de produtos a base de ivermectina e sabonetes sarnicidas ou a base de enxofre, são muito usados. Em alguns casos, há necessidade de suplementação vitamínica com a administração de polivitamínicos de uso veterinário. É importante que o tratamento seja levado á risca, para que logo o cãozinho possa estar curado.

Como evito que meu cãozinho pegue sarna?
Como já falamos, a sarna demodécica está nele e pode ter sido passada da mãe para o filhote. No caso dessa sarna, o melhor a ser feito é evitar que o cão passe por momentos estressantes e manter a alimentação, a vacinação e a vermifugação em dia, para garantir o que organismo do animal esteja bem e forte.

Já a sarna sarcóptica é transmitida através do contato. Para evitar que seu animal pegue é importante isolar o pet que tenha sarna e esteja em tratamento, até que ele fique curado. Camas e paninhos também precisam ser separado e, em alguns casos, descartados. Mantenha a alimentação correta e fique atento a qualquer alteração em seu bichinho. Quanto antes ele for socorrido, mais rápido ele ficará bem e feliz.

Fonte: revistapet.com





Deixe seu comentário