SAÚDE ANIMAL NO INVERNO: DOENÇAS E PRECAUÇÕES

SAÚDE ANIMAL NO INVERNO: DOENÇAS E PRECAUÇÕES

7 de junho de 2016 Cães, Curiosidades, Dicas, Gatos 0 Comments

Assim como nós humanos, no inverno os animais também estão mais propensos a adquirirem doenças e a procura por clínicas veterinárias aumenta. Como a transmissão de virose nos cães é mais rápida que nos gatos, eles são os primeiros a chegarem nas clínicas.

Além das doenças respiratórias que são as mais comuns, os animais idosos com problemas osteoarticulares como artrose, calcificações na coluna ou hérnia de disco, passam a sentir mais dor quando expostos as baixas temperaturas.

Algumas doenças são mais rotineiras no inverno e formas simples de prevenção poupam os bichinhos desses problemas. Confira algumas informações sobre essas doenças e como preveni-las:

Cães
Doença típica do inverno: Traqueobronquite, conhecida como Gripe Canina ou Tosse dos Canis
Sintomas: Parecidos com os da gripe humana, espirros, falta de apetite e tosse normalmente seca que pode evoluir para catarro.

A melhor forma de prevenção é a vacinação. Como a doença é transmitida pelo contato, a vacinação é ainda mais importante para quem tem mais de um animal. Se o animal do vizinho estiver doente, o seu pode contrair a doença mesmo estando dentro de casa.

As infecções por vírus são mais brandas e normalmente não precisam de um tratamento específico. Porém, em alguns casos quando a infecção é causada por bactéria, principalmente a Bordetella, o quadro é mais grave e pode evoluir para pneumonia se não tratado corretamente.

Gatos
Doença típica de inverno: Rinotraqueite, mais comum em filhotes
Sintomas: secreção nasal e ocular, dificuldade de respirar, febre e desidratação.
Transmitida pelo contato entre animais.
Prevenção: Vacinação contra o herpesvírus, que é o vírus responsável pela doença. É importante também desinfetar o ambiente e os utensílios do gatinho doente.

Artrose
Com o avanço da medicina veterinária, os animais em geral estão vivendo mais tempo e consequentemente, o número de animais com doenças relacionados à idade também cresceu. No inverno, além das doenças respiratórias, os problemas mais comuns apresentados pelos cães e gatos idosos são os relacionados a ortopedia, que afetam principalmente sua qualidade de vida, já que a dor é mais intensa durante as baixas temperaturas.

A mais comum das doenças ortopédicas é a Artropatia Degenerativa ou Osteoartrose, ou simplesmente Artrose, doença que pensava-se ser exclusiva dos seres humanos até há pouco tempo. Na artrose, a cartilagem sofre alterações degenerativas e perde a capacidade de absorver e distribuir impactos, o que resulta em dor nas articulações. Consequentemente os bichinhos ficam mais quietos e relutantes a andar, brincar, correr, subir escadas, etc.

É importante lembrar que a artrose é uma doença crônica, ou seja, o animal não ficará curado completamente, e qualquer tipo de tratamento terá como finalidade controlar a dor, melhorando assim sua qualidade de vida. Os tratamentos podem ser baseados em medicamentos ou até mesmo em sessões de fisioterapia.

Escovação
No caso de animais que usam roupinhas para proteção contra o frio e têm pelo grande, manter uma escovação constante é importante para prevenir contra a formação de nós que levam a lesões de pele comuns da umidade.

Desidratação
No frio a sensação de sede diminui e é importante cuidar da hidratação dos animais. Os gatos são mais propensos a desenvolverem cálculos nas vias urinárias, devido principalmente à baixa ingestão de água. É importante observar seus costumes e descobrir qual a maneira que eles mais gostam de beber água: alguns gostam de beber em tigelas e outros direto na torneira, por exemplo. Incentive então o bichano a beber bastante água e mantenha uma dieta mais úmida.

No inverno, evite passeios nos dias muito frios e banhos muitos frequentes principalmente nos animais mais idosos. Outros fatores que podem causar tosse nos cães são friagem, odores muito fortes (tintas, solventes, produtos de limpeza, etc) e alergias a ácaros ou pólen. Animais nessas condições são mais sensíveis e consequentemente mais suscetíveis à doenças. Esteja então em dia com as vacinas.

É importante ainda que todos os animais tenham uma casinha ou um lugar coberto para dormirem. Cães que dormem ao relento são os primeiros candidatos a desenvolverem doenças respiratórias.

Fonte: granvitapet.com.br





Deixe seu comentário